ESTUDO DE FASE III, DUPLO-CEGO, CONTROLADO POR PLACEBO E MULTICÊNTRICO DA EFICÁCIA E SEGURANÇA DO ETROLIZUMABE DURANTE A INDUÇÃO E MANUTENÇÃO EM PACIENTES COM COLITE ULCERATIVA ATIVA, DE MODERADA A GRAVE, QUE SEJAM REFRATÁRIOS OU INTOLERANTES A INIBIDORES DE TNF

A colite ulcerativa é uma doença intestinal inflamatória que afeta o cólon e caracteriza-se por ulceração da mucosa, sangramento retal, diarreia e dor abdominal, podendo complicar-se por diarreia sanguinolenta intensa, megacólon tóxico, necessitando de intervenção cirúrgica. Estima-se que existam 505 casos para cada 100.000 pessoas. Embora o tratamento atual não seja curativo, ele busca induzir e manter a remissão, diminuir o uso de corticosteroides, induzir a cicatrização da mucosa e reduzir o número de hospitalizações e cirurgias relacionadas à doença, mas, principalmente, melhorar a qualidade de vida, evitando a incapacidade permanente do paciente.