Avaliar a eficácia e segurança do etrolizumabe comparado com placebo em pacientes com colite ulcerativa ativa não tratados anteriormente com inibidores de TNF

A Colite Ulcerativa é uma doença intestinal inflamatória que afeta o cólon e caracteriza-se por ulceração da mucosa, sangramento retal, diarreia e dor abdominal, podendo complicar-se por diarreia sanguinolenta intensa, megacólon tóxico, necessitando de intervenção cirúrgica. Estima-se que existam 505 casos a cada 100.000 pessoas. Embora o tratamento atual não seja curativo, ele busca  induzir e manter a remissão, diminuir o uso de corticosteroides, induzir a cicatrização da mucosa e reduzir o número de hospitalizações e cirurgias relacionadas à doença, mas, principalmente, melhorar a qualidade de vida, evitando a incapacidade permanente do paciente.

O estudo G29102 é um ensaio clínico randomizado, com o objetivo avaliar a segurança, eficácia e tolerância de etrolizumabe comparado ao placebo no tratamento de Colite Ulcerativa.

Uma grande proporção de pacientes com Colite Ulcerativa moderada a gravemente ativa não mantém uma resposta duradoura às terapias disponíveis que, no máximo, atingem remissão sustentada em somente 10% a 30% dos pacientes, estando ainda associadas a eventos adversos significativos. Consequentemente, continua havendo uma alta necessidade de novas opções terapêuticas capazes de sustentar a remissão e evitar complicações em longo prazo. Assim, o etrolizumabe, um anticorpo monoclonal que age inibindo a resposta imune pelo bloqueio de 2 proteínas que atuam na cascata de defesa (α4β7 e αEβ7), pode ser uma opção terapêutica.