Avaliação da eficácia e da segurança de um ou mais tratamentos com intradetrusor de 600 ou 800 unidades de Dysport® no tratamento de incontinência urinária em pacientes com hiperatividade do detrusor neurogênico devido a lesão na medula espinhal ou esclerose múltipla

Muitas doenças e eventos afetam o sistema nervoso controlando o trato urinário inferior e podem resultar na hiperatividade do detrusor neurogênico (HDN); incluindo esclerose múltipla (EM), lesão na medula espinhal (LME), doença de Parkinson, tumores cerebrais e AVC. Ao contrário das lesões supraespinhais, a EM e LME afetam a medula espinhal e compartilham características comuns.

O principal sintoma relacionado à HDN é a Incontinência Urinária (IU), que é uma perda involuntária de urina. Visto que os pacientes com HDN podem experimentar episódios frequentes de IU, juntamente com outros sintomas, como aumento da frequência urinária, sua qualidade de vida pode ser significativamente deficiente/deteriorada.

Pacientes com HDN, particularmente aqueles com lesões suprassacrais, podem também ter disfunção de esvaziamento devido à interrupção da inervação do mecanismo de esfíncter uretral. Tais pacientes necessitam cateterização intermitente limpa para esvaziar eficientemente a bexiga. A pressão elevada da bexiga devido à HDN e dissinergia de esfíncter detrusor pode contribuir para o dano do trato urinário superior e insuficiência renal.

Este é um estudo para avaliar a eficácia e segurança de duas doses de Dysport® (600 U e 800 U) administradas para tratar a bexiga de pacientes adultos com lesão na medula espinhal (LME), esclerose múltipla (EM) e incontinência urinária (IU) devido à hiperatividade do detrusor neurogênico (HDN).

Este estudo tem dois períodos de tratamento, no total com duração de 24 meses, ou até que se tenha a última administração do fármaco. Será realizado no Hospital Moinhos de Vento, com o patrocínio Ipsen Innovation, da França.