Avaliação da eficácia e da segurança do tratamento intradetrusor com Dysport® de 600 ou 800 unidades para incontinência urinária em pacientes com hiperatividade do detrusor neurogênico devido à lesão na medula espinhal ou esclerose múltipla

Muitas doenças e eventos que afetam o sistema nervoso central podem resultar na hiperatividade neurogênica do detrusor (HDN), a qual manifesta-se como incontinência urinária, reduzindo significativamente a qualidade de vida dos pacientes.

 

O estudo CONTENT2 visa avaliar a eficácia e segurança de duas doses de Dysport®, um complexo de neurotoxina da toxina botulínica, administradas para tratar a bexiga hiperativa de pacientes adultos com lesão na medula espinhal, esclerose múltipla e incontinência urinária devido à HDN.

 

Pacientes com HDN têm dificuldade de esvaziamento da bexiga devido ao tônus aumentado do esfíncter uretral, necessitando de sondagem vesical intermitente. A pressão elevada da bexiga devido à HDN ainda pode contribuir para dano do trato urinário superior e insuficiência renal. O Dysport® evita a liberação de acetilcolina nas junções neuromusculares, bloqueando a transmissão neuronal que, por sua vez resulta em relaxamento do músculo. O Dysport® foi considerado eficaz no tratamento de uma variedade de distúrbios oftalmológicos e neurológicos incluindo blefarospasmo, espasmo hemifacial, espasticidade e distonia cervical, mas ainda não foi testado para o tratamento da HDN.